SUA ETERNIDADE VEM RECOBRIR E DISSOLVER SEU EFÊMERO Bem amados, Eu os convido …

Communauté de la Résurrection
SUA ETERNIDADE VEM RECOBRIR E DISSOLVER SEU EFÊMERO 
 Bem amados, Eu os convido …

SUA ETERNIDADE VEM RECOBRIR E DISSOLVER SEU EFÊMERO 💗

Bem amados, Eu os convido a superar a noção de explicação e a noção de sentido, ou seja, superar a noção de causalidade e colocar o Amor, que apaga e faz desaparecer todas as causalidades.

Assim, eu os convido a superar a noção de sentido e de explicações que fará apenas remetê-los, permanentemente, à noção de dualidade. Acolher a Graça é dotar-se, também, da possibilidade de acolher o sofrimento, acolher, para além de todo sentido e para além de todo significado, a realidade do Amor. Não é mais tempo, hoje, nesses tempos tão reduzidos, de colocar-se a questão do sentido de tal manifestação, de tal evento ou de tal problema, como de qualquer alegria. Recolocar tudo no Amor é, como eu o disse, voltar a tornar-se como uma criança, é apresentar a inocência e a candura, não daquela que quer esquecer, apagar, mas a inocência da criança totalmente disponível ao seu presente, totalmente disponível ao instante e totalmente disponível à verdade do Amor.

A verdade do Amor não se importa com causas, porque ela é a essência da manifestação e a essência de sua Presença. Assim, portanto, se você a aceita, vá além do sentido, vá além da causalidade, vá além do que concerne à pessoa e entre na Eternidade para não renegar o que quer que seja ao nível da causalidade, mas, bem mais, colocar-se, por si mesma e em consciência, além de toda dualidade.

“Amem-se uns aos outros”, isso eu o disse; ame-se como você é amado pela Fonte, ame-se como você é amado pelo Pai, e não dê atenção às desordens, não se desvie delas, mas atravesse-as. Chame seu Espírito para não mais colocar-se a questão do sentido, a questão da explicação, mas entre mais, não na indiferença, mas no que eu qualificaria de divina indiferença, não como uma distância que se toma, mas, bem mais, uma indiferença para o que apenas concerne ao efêmero.

Sair da pessoa e sair dos limites é, também, a esse preço. Esse corpo, como qualquer corpo presente na superfície desse mundo, passa por diferentes fases que terminarão, todas, inevitavelmente, pelo desaparecimento da pessoa e o desaparecimento do que dura apenas um tempo. Se você quer transcender e superar a causalidade temporal, espacial e cármica, adote o ponto de vista da criança. Aquele que vive e cujo mental não está procurando uma causalidade ou um sentido, nem mesmo procurando superar o que se apresenta, mas, bem mais, transcender o que se apresenta para estar, você mesma, na plena Presença e na integralidade do que você é.

De qualquer forma, sua Eternidade vem recobrir e dissolver seu efêmero. Para além do sentido de uma cicatriz, para além do sentido de uma doença, para além, mesmo, do sentido da alegria, encontra-se o que é sem sentido e sem razão, porque isso está presente ao mesmo tempo, em todo ser, em todas as coisas e em toda situação.

É, portanto, convidado, como cada um de vocês, nesses tempos tão reduzidos e intensos, a permanecer na tranquilidade, na Paz e a ver, de maneira mais ampla, que transcende toda noção de limite, como toda noção de vida pessoal, para entrar, diretamente, e de coração, na Eternidade da Graça e não permanecer na manifestação da Graça que sobrevém apenas quando a consciência a ela se interessa ou a ela submete-se.

Mas fazer da Graça a manifestação evidente, sem esforço e permanente do que você é. Para isso, entregue seu sofrimento nas mãos da Fonte, nas mãos do Pai, entregue o que você é de eterna à Eternidade, e deixe o que é efêmero ao efêmero, deixe os mortos enterrarem os mortos e siga-me. Isso significa, também, permanecer imóvel em seu peito e não mais ser afetada, sem desvio nem artifício, por qualquer circunstância que venha imprimir-se na consciência efêmera. É claro, cada problema tem um sentido e um simbolismo, cada problema tem uma explicação, mas não perca, jamais, de vista que a primeira das explicações é, em definitivo, apenas a resultante do confinamento do que foi nomeada, em seu tempo, a Queda. Depois da queda, é preciso subir, porque a Eternidade não conhece nem queda nem subida, mas instalar-se na permanência e na imanência do que é verdadeiro, e a única coisa que é verdadeira é a verdade do Amor e a permanência da Graça. Não lhe é mais solicitado viver a experiência da Graça, mas tornar-se, você mesma, o instrumento da Graça e, para isso, o que pertence ao limitado não deve mais estar nem à frente nem ao redor, mas apagar-se diante da majestade de Quem você é, na majestade do Amor. No silêncio do instante, no silêncio de minhas palavras como de suas palavras, permitam-me abençoar a Eternidade de seu coração.

CRISTO
Fevereiro de 2015

https://lestransformations.wordpress.com/…/christ-18-fevri…/

Laisser un commentaire